Nicole Forte em Entrevista

22-06-2019

O luxo tem um nome e uma cara. Rosto de menina em corpo de mulher, o pecado ruivo que não sabias que desejavas. Fique a conhecer quem é Nicole Forte em 5 questões colocadas por mim a esta Medusa dos tempos modernos Acompanhante de luxo em Lisboa.

N.: Olá, Nicole. Vejo que “tattoo” consta na informação da sua página do site como um EXTRA. Acha que as tatuagens são algo que desperte interesse em quem a procura?

Nicole: As pequenas tattoos que tenho datam momentos importantes da minha vida e isso é real. Se acho que os homens gostam do real? Com toda a certeza. Até hoje não encontrei nenhum homem que não aprecie as minhas tattoos e já tive até quem ficasse com curiosidade de fazer também.

N.: Eu tenho umas quantas também, mas a tela não é tão boa. Diz-se que os homens preferem as loiras (embora eu não concorde), mas o que acha que uma ruiva tem para oferecer?

Nicole: Bom, isso é 50/50. Tem o seu mito e a sua verdade. Neste meio descobri que realmente há uma maior procura por loura, mas na minha opinião acho que um homem quer uma MULHER elegante e fogosa, que o faça sentir especial, importante e não é a cor do cabelo, a makeup ou um decote que faz com que te sintas homem, mas sim todo o fogo da mulher em si. De momento, estou loura mas não tem nada a ver com trabalho ou táctica. Em estações frias uso mais o preto azulado/arroxeado e o vermelho. Estações quentes, prefiro o loiro madeixado e castanhos claros.

N.: Já que falamos em cores: lingerie colorida ou preta? E gosta de despir ou que a dispam por si?

Nicole: Hmmm… essa é difícil! Na minha opinião tudo o que é demasiado colorido acaba se tornando um pouquinho piroso. Eu amo lingerie… de várias cores e formatos. O preto é sempre uma boa escolha, mas já viste o que é usar lingerie preta debaixo de uma blusa branca ou um vestido claro? Se o preto é mais sexy? Talvez, mas depende muito da cor de pele também, na minha, o preto vermelho e azul são as que assentam melhor. Mas podes dar-me a tua opinião afinal é sempre bom saber o que o homem acha.

 

“Acho que um homem quer uma MULHER elegante e fogosa, que o faça sentir especial, importante…” (Nicole Forte)

N.: Preta. Sempre. Diga-me que esse corpo é fruto de muito trabalho de ginásio ou é simplesmente uma dádiva dos céus? Algum cuidado especial com a alimentação?

Nicole: Ok, agora é que elas me vão aniquilar. Eu como imenso e de tudo um pouco desde chocolate e donuts a saladas, pastas e hambúrguer. Adoro um bom carapau grelhado, mas não dispenso o maravilhoso cozido à portuguesa. Treino? O meu treino é mais outro se é que me entendes, talvez seja esse o segredo. Agora fora de brincadeiras ,eu tenho imensa dificuldade em engordar e passar dos 50kg e isso pode parecer óptimo para a maioria mas a verdade é que gostaria de engordar para aí sim poder treinar e definir um pouco mais este templo precioso. Acima de tudo sou feliz como sou e amo o meu corpo do jeito perfeito que ele é com todas as suas imperfeições.

N.: Algum conselho especial a quem a procura uma primeira vez?

Nicole: Bom, em 1º lugar, acho que a pessoa tem que pensar muito bem no que realmente quer antes de começar a ligar para todo o mundo e ler as informações do anúncio. É muito importante não basta apenas ver uma foto bonita e chamar. Também é perfeitamente normal estar nervoso na 1ª vez e nós sabemos isso, eu própria estou sempre nervosa e não é só na 1ª vez. Na 1ª com o cliente estou nervosa por não saber como vai correr e se vai gostar. Na 2ª vez que o mesmo me chama, eu fico nervosa porque para mim tem que ser melhor que a 1ª e por aí além. Eu compito comigo mesma, adoro quando eles estão nervosos, acabo por me sentir mais à vontade Desculpa acabei por me desviar da questão.

N.: Não tem problema, Nicole. Para si… tudo.

Nicole: Então, primeiro, saber bem o que quer, segundo, ler as informações e por último confiar na escort. Por muito difícil que seja ninguém melhor que nós para te pôr à vontade. Afinal nós somos amigas, psicólogas, massagista, namorada, amante e às vezes até mesmo professora .

Entrevista por Noé, Classificadox.

 

Back to the Blog